Após acordo bilionário com GM, Nikola é acusada de fraude

0
20


caminhão Nikola One na posição 3x4
Caminhão terá autonomia máxima de 1.931 km Reprodução/Youtube

Depois de anunciar uma parceria bilionária com a General Motors, a Nikola parece estar em maus lençóis. A empresa foi acusada de estar envolvida num “oceano de fraudes” por investigadores privados americanos. Uma das alegações é de que a Nikola jamais criou um protótipo funcional, e que os vídeos mostrados até agora são falsos.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

A Nikola divulgou um vídeo de seu primeiro caminhão elétrico, o One, em movimento numa seção remota de uma rodovia no estado americano de Utah. A Hindemburg Research, responsável pelas investigações, conseguiu reproduzir o vídeo com outro caminhão e revelou que seria possível chegar a cerca de 100 km/h com o veículo.

Continua após a publicidade

O trecho da rodovia é uma leve descida, com cerca de 3,4 quilômetros de extensão. O curioso é que, de fato, a Nikola “admitiu” que o caminhão poderia estar se movimentando apenas com a força da gravidade. Num comunicado, a empresa afirmou que “nunca disse que o caminhão andou com propulsão própria no vídeo”.

A marca afirma que os investidores sabiam das capacidades do caminhão na época do investimento, e que o vídeo, feito há quase três anos, é “irrelevante”.

Nikola Badger tem visual futurista e opção de motor a hidrogênio Nikola/Divulgação

Acusações verdadeiras ou não, as descobertas da Hindemburg causaram uma onda de cetisimo sobre as atividades da Nikola. Segundo reportagem da Bloomberg, o governo americano já está de olho nos relatórios da Hindemburg para determinar se a Nikola violou alguma lei.

Já a GM afirma ter feito diligências antes de fechar o acordo de cooperação com a Nikola. Segundo a fabricante, todas as atividades da Nikola foram revisadas nos âmbitos legal e técnico.

Continua após a publicidade

O One era o único produto mostrado até então pela Nikola. A marca também afirma trabalhar numa picape de porte médio, a Badger, que deverá ter versões com motor elétrico ou a hidrogênio. No entanto, nenhum protótipo da picape chegou a ser apresentado ainda.

Um segundo caminhão, o Tre, também foi mostrado, apenas em fotos. Agora, a empresa luta para desacreditar a investigação e garantir que seus investidores continuem confiantes na empresa.

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital. 

Arte/Quatro Rodas





Source link

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here